Prefeitura de Anápolis

Prefeitura de Anápolis desenvolve ações de saúde mental no Setembro Amarelo

Valorização da Vida é tema da campanha em ação desta quinta-feira, 23, na Praça Bom Jesus

Foto: Divulgação

Valorizar a vida é o mote do Setembro Amarelo, campanha que trata da prevenção ao suicídio. Em Anápolis, diversas ações de conscientização promovidas pela rede de atenção à saúde mental, da Secretaria Municipal de Saúde, estão acontecendo ao longo do mês. Nesta quinta-feira, 23, uma atividade na Praça Bom Jesus tem o intuito de alertar para a urgência do tema diante do cenário mundial provocado pela pandemia.

Com todos os cuidados sanitários, serão apresentados os serviços que compõem a rede de saúde mental do município, por meio de oficinas, orientações e cuidados, além de entretenimento. Profissionais da Secretaria de Integração Social também participam divulgando os serviços de suporte assistencial que a pasta oferece e orientações ao cidadão que precisa desse tipo de atendimento. O horário será das 9h às 12h e é direcionado a toda a população.

A equipe de saúde mental da Prefeitura tem desenvolvido ainda um trabalho voltado a estudantes do 6º ao 9º ano da Rede Municipal de Educação como forma de apoio psicológico, destacando o papel das habilidades socioemocionais na vida das crianças e adolescentes.

A rede de atenção à saúde mental de Anápolis é composta por três unidades do Caps e o Espaço Florescer (Ambulatório Municipal de Saúde Mental), que atuam mediante encaminhamento das unidades de saúde. O Centro de Apoio Psicossocial da Infância e da Adolescência (Capsi Crescer) atende crianças e adolescentes de zero a 18 anos que possuem algum tipo de transtorno mental. A unidade conta com psiquiatras, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Essa mesma equipe multidisciplinar é encontrada nos Caps AD Viver, um serviço específico para o cuidado e atenção continuada às pessoas com necessidades em decorrência do uso de álcool e drogas. Já o Vidativa acolhe aqueles que possuem qualquer transtorno ou problema de saúde mental, com idade entre 18 e 59 anos. Após os 60 anos, a referência é o Hospital Dia do Idoso.

É importante ressaltar que os Caps AD Viver e Vidativa funcionam 24h. O sistema foi implantando recentemente pela atual gestão para acolher os pacientes em momentos de crise. Também foi inaugurado o Espaço Florescer – Ambulatório de Saúde Mental – para pacientes infantis e adultos com transtornos classificados como leves e moderados.

Compartilhar publicação