Prefeitura de Anápolis

Estudantes da rede aprendem na prática alimentação saudável, educação financeira e consumo consciente

Da teoria para a vida, feirinhas com bancas de produtos em escolas e Cmeis se tornam um jeito diferente de estudar matemática

Foto: Ana Laura Zanni

“Durante o ano eu me esforcei bastante nas aulas, e hoje, na feirinha, eu pude usar o meu dinheiro para comprar brinquedos para mim e alimentos lá para casa”, conta a estudante da Escola Betesda Jardim Esperança, Marya Eduarda Araujo, de 10 anos. A “Feirinha de Matemática” teve sua 5ª edição nesta sexta-feira, 19, com o objetivo de promover a aprendizagem, trabalhar valores e desenvolver a responsabilidade dos alunos.

A gestora da unidade escolar, Mirian Borges, explica que as atividades do projeto envolvem compra de produtos em mercado fictício da escola, jogos matemáticos e leilões, mas o encerramento do projeto é a “Feirinha da Matemática”, uma das atrações da Semana de Educação para a Vida.

“Temos diversas bancas de brinquedos, livros novos e usados, além de alimentos e material escolar. Esses produtos são adquiridos por meio de doações da comunidade”, diz Mirian.

Para poder comprar na feirinha, as crianças recebem dinheiro fictício, que são dados pelos professores a partir da observação de critérios como assiduidade, entrega das atividades de casa, participação nas aula e o respeito com colegas e professores. Conforme o estudante cumpre os critérios, ele vai recebendo o dinheiro fictício. O exercício faz com que o estudante aprenda diversos conceitos da matemática, além de valores éticos e morais indispensáveis à formação do indivíduo.

Já no Centro de Educação Infantil (CEI) Ágape, a feira também funcionou como estímulo para hábitos saudáveis. Frutas, verduras e legumes, doados por comerciantes da Central de Abastecimento em Anápolis (Ceasa), estavam expostos para serem adquiridos pelos estudantes. “Quando a Prefeitura lançou uma campanha de incentivo fiscal, nós agregamos o cupom fiscal na nossa feira, então as crianças aprendem que quando elas compram algo, precisam ter a garantia de que se pagou por aquele produto”, pontua a gestora da unidade, Eude Ribeiro.

Na Escola Municipal Deputado José de Assis aconteceu a “Feira do Troca” para estimular o consumo consciente. Os estudantes levavam brinquedos que não usavam mais para trocar com outros colegas.

Para a secretária de Educação, Eerizania de Freitas, a educação financeira, que está entre os temas transversais contidos na Base Nacional Comum Curricular (Bncc), deve ser inserida no dia a dia dos estudantes. “Ações como essas propiciam uma educação contextualizada, com atividades do cotidiano dos estudantes permitindo o desenvolvimento de hábitos de consumo consciente”, ressalta a secretária.

Compartilhar publicação