Prefeitura de Anápolis

Com filas zeradas para internação por covid, Roberto Naves anuncia reestruturação da saúde em Anápolis com três novos hospitais

Prefeito realizou balanço do enfrentamento à doença no município e ações de longo prazo para o cenário pós-pandemia

Foto: Bruno Velasco

“Fomos uma das únicas cidades de Goiás e do Brasil a não deixar faltar leitos”, afirmou o prefeito Roberto Naves na manhã desta quinta-feira, 23, ao anunciar novos hospitais, o retorno das cirurgias eletivas e o sentimento de estar finalizando a guerra contra a covid em Anápolis. “Foram investidos em torno de R$ 150 milhões. Desses, R$ 50 milhões vieram do governo federal e estadual e os outros R$ 100 milhões vieram de vocês”, indicou, referindo-se à arrecadação dos contribuintes que é devolvida à população em forma de obras e serviços por parte do poder público.

Em entrevista coletiva, o prefeito agradeceu os profissionais da saúde que atuaram no enfrentamento à covid-19 e divulgou que a cidade terá um memorial para homenagear as vítimas e uma comenda “para os trabalhadores que deixaram suas casas para cuidar os doentes”. Ontem, 22, um vídeo gravado pelo diretor do Centro de Internação Norma Pizzari, o médico Aladim Nepomuceno Júnior, viralizou nas redes sociais mostrando a unidade, que foi inaugurado em março de 2020, com todos os leitos vazios. O espaço foi referência no tratamento de vítimas do vírus e retorna ao controle da Santa Casa de Misericórdia.

Roberto relembrou que a reestruturação na área da saúde feita ainda em 2018, o prefeito disse que é o momento de seguir com a proposta de a cidade ter seus próprios centros cirúrgicos, deixando de depender de instituições privadas para atender a demanda de cirurgias eletivas no município.

O prefeito anunciou a inauguração, em até 60 dias, do novo Hospital Municipal Alfredo Abrahão, que foi utilizado como hospital de campanha para internações por covid e será entregue à população com 75 leitos e três centros cirúrgicos. A unidade vai substituir o Hospital Municipal Jamel Cecílio, que passará a ser um Centro de Diagnósticos, e receberá recursos do Ministério da Saúde.

A Unidade de Saúde da Vila União vai ser adaptada para receber nos próximos meses o Hospital da Mulher e o Hospital Municipal do Idoso será criado com leitos de internação de longa permanência.

O prefeito também anunciou que em breve a gestão da UPA Vila Esperança e do Hospital Municipal Alfredo Abrahão será feita por organização social (OS), tal como acontece na UPA Pediátrica, que se tornou “um case de sucesso”. Futuramente, o mesmo ocorrerá com as unidades básicas de saúde. “Já foi iniciado o estudo e termos de referência para implantação de OS em toda a atenção básica”, informou, tranquilizando os servidores quanto às mudanças. “Eles serão ainda mais valorizados, financeiramente dizendo, além de terem melhores condições de trabalho. Então, o que nós queremos para população, que é o melhor, nós queremos também para os nossos profissionais”, pontuou.

Flexibilização
O município deve publicar novo decreto mais flexível, possibilitando o retorno de várias atividades até então suspensas. “Provavelmente vamos autorizar alguns eventos, como teste, seguindo protocolos rígidos para que possamos ter novos eventos. Precisamos dar condição de trabalho para aquelas pessoas que querem levar sustento para sua casa. O covid não acabou e temos a necessidade de tomar todos os cuidados, assim como de tocar a nossa vida, mesmo porque isso é o que temos de mais precioso”, ressaltou.

Compartilhar publicação