Prefeitura de Anápolis

Além de lidar com alta de preço nos combustíveis, motorista deve ficar atento a variação de valor entre postos

Procon Anápolis também realizou pesquisa da cesta básica no mês de novembro; banana, batata e produtos de limpeza estão entre os itens que mais oscilaram

Foto: Bruno Velasco

Como o preço dos combustíveis está pesando no bolso do consumidor, o Procon Anápolis tem acompanhado periodicamente a rotina de preços praticados pelos postos da cidade com pesquisas que podem auxiliar o motorista na hora de abastecer. A última delas, realizada em 10 estabelecimentos na primeira quinzena de novembro, alerta para a diferença de valores, que pode chegar a R$ 0,30 no custo do litro da gasolina aditivada, que variou de R$ 6,99 e R$ 6,69 (diferença de 4,62%).

O diesel S-10 apresentou a maior variação (7,55%), com valor médio de R$ 5,50 e preço entre R$ 5,29 e R$ 5,69. O etanol e o diesel comum foram os que menos tiveram alteração no preço, com variação de 2,23% e 3,26%, respectivamente.

De acordo com o Procon, os preços foram coletados em locais que aceitavam pagamento à vista e com cartão de crédito e débito. Em alguns o valor sofre acréscimo entre R$ 0,10 e R$ 0,46 no pagamento com cartão de crédito para o abastecimento com etanol e gasolina, enquanto para o diesel, pode chegar a R$ 0,70 no crédito.

Cesta básica
Banana e batata lideram os itens da cesta básica com variações que chegam a 151% e 101%, respectivamente. O valor da fruta está entre R$ 1,99 e R$ 4,99, com valor médio de R$ 4. Já o tubérculo, o consumidor pode encontrar por R$ 2,98 e R$ 5,99 com valor médio de R$ 4,39. Foram pesquisados pela equipe do Procon Anápolis 23 itens, de diferentes marcas, em seis estabelecimentos.

Apesar de ser os principais itens da cesta, o arroz e o feijão se encontram na pesquisa com variações pouco expressivas. O cidadão pode encontrar o primeiro produto a R$ 17,93 em média. O preço do segundo item pode ser encontrado de R$ 5,39 a R$ 6,69. O consumidor que pesquisar os variados preços dos produtos de limpeza pode tomar um susto. O preço do sabão muda em 107% e o do creme dental, 111%, dependendo de onde se compra.

O relatório do Procon afirma que um indivíduo adulto que recebe um salário mínimo de R$1.100,00 comprometerá R$ 519,08 de sua renda com a cesta básica individual, considerando o valor médio dos produtos pesquisados definidos pelo Dieese; isso representará 47,19%, quase metade do seu salário.

Compartilhar publicação