Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Secretaria de Educação adere a campanha de combate à exploração sexual

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

10/06/2020 13h29 - Atualizado em 10/06/2020 13h31

Secretaria de Educação adere a campanha de combate à exploração sexual

Também tratadas por outras secretarias do município, as ações se deram junto à Rede de Proteção à Criança e Adolescente

A Campanha Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes ganhou novo formato para acontecer durante a pandemia, e a Secretaria Municipal de Educação, a partir de mobilização realizada pela Rede de Proteção à Criança e Adolescente no dia 18 de maio, adotou a pauta em suas atividades. Indo diretamente ao encontro do tema institucional escolhido para a rede de ensino em 2020, “Educação Pela Paz”, uma das primeiras ações implantadas foi a retomada do contato frequente com os estudantes e suas famílias durante o período de suspensão das aulas.
 
A rede municipal de ensino tem papel importante, além dos núcleos de assistência social, na identificação de maus-tratos às crianças – devido ao vínculo formado em sala de aula, que favorece a percepção de indícios ou comportamentos incomuns. Diante disso, os educadores foram estimulados, junto a seus gestores, a fazerem contatos telefônicos com as crianças, procurando saber como estava a rotina das famílias durante o período de distanciamento social. Além de estar atentos a sinais de possível violência, as conversas serviram para entender quaisquer problemas que pudessem estar enfrentando e até para que algumas famílias fossem orientadas a procurar o Zap do Social e, posteriormente, receberem cestas básicas para complementar a alimentação dos familiares.
 
A gestora do CEI (Centro de Educação Infantil) Betesda Esperança, Lorena Cristina Sabino Boaventura Gomes, realizou alguns passeios pela comunidade em paralelo com as ligações. “Visitamos algumas famílias. Dentro de um limite de tempo responsável e com as devidas precauções, conversamos com os pais e observamos as crianças. Foi tudo tranquilo nas minhas visitas. Não houve nenhum sinal que despertasse suspeita”, relatou a diretora.
 
Já a segunda ação em prol da campanha, entrou no ar na semana passada. Foi lançado, no Portal da Educação, um concurso de redação para alunos do 5º ao 9º ano, com temas relacionados à violência infantil. A iniciativa pretende mobilizar os estudantes a refletirem sobre o assunto, relatando suas visões a respeito. Gestores e professores foram convocados a mobilizar os docentes para participarem.
 
Lorena Lidiane Silveira, que está à frente da Escola Municipal Elzira Balduíno, está preparando os alunos para a participação no concurso. “Estamos avaliando a possibilidade de inserir o concurso dentro da programação de aulas, pra que as crianças reflitam sobre o tema com a ajuda do professor. O benefício não é só pra aqueles que possam sofrer violência, mas pra todos, inclusive os mais novos, que não participarão do concurso. Com aulas virtuais, os responsáveis passaram para a posição de tutor pedagógico, e se acontecer alguma coisa com um parente próximo, por exemplo, estarão de olho”, disse a gestora.
 
A secretária de Educação, Sonja Maria Lacerda, também alertou para a importância da campanha. “Estamos vivendo tempos tão complexos, que a subnotificação dos casos de violência tem que ser uma preocupação. Em uma rede que atende tantas pessoas como a nossa, estimular essa conscientização é um dever. E o Portal está aí para servir à comunidade. Isso vai além do ensino, e essa campanha é um exemplo disso”, apontou.
 
O concurso está disponível no Portal da Educação para inscrição até sexta-feira, 12, e oferece prêmios para estudante e unidade escolar no 1º, 2º e 3º lugar de colocação. Os critérios de avaliação e lista dos prêmios, que contam com headfones, caixas de som e kits de livros literários, podem ser visualizados na página do concurso, onde o aluno também terá oportunidade de escolher entre duas opções de temas correlacionados.