Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Procon Municipal indica pesquisa de preços ao consumidor

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

09/06/2017 15h49

Procon Municipal indica pesquisa de preços ao consumidor

Levantamento aponta variação que chega a 1.414% em itens de vestuário; órgão também apresenta dicas para uma compra segura

De olho no Dia dos Namorados, segunda-feira, 12 de junho, – uma das datas que mais movimentam o comércio –, a Secretaria Municipal de Defesa do Consumidor (Procon) orienta o anapolino a gastar tempo para economizar dinheiro. Trata-se de colocar em prática a boa e velha pesquisa de preços, que pode significar, dependendo do presente, um alívio no bolso que ultrapassa os 1.000%. Clique aqui e confira.
 
É o caso, por exemplo, da bermuda masculina, que pode ser encontrada de R$ 9,99 a R$ 120, variação de 1.101%. Percentual bem parecido se aplica às camisetas, vendidas com preços entre R$ 7,99 e R$ 99,90, diferença de 1.150%. Mas, nenhuma discrepância é tão acentuada quanto a das blusas femininas, encontradas por R$ 9,90 e também por R$ 149,90. Nesse caso, uma variação de 1.414%. Os números fazem parte de levantamento realizado pelo Procon Anápolis entre final de maio e início de junho, em cinco lojas da região central.
 
Mas a pesquisa de preços é apenas um dos cuidados que o consumidor deve ter. Garantir uma compra segura é outro aspecto que não pode ser ignorado. Por essa razão, a Secretaria Municipal de Defesa do Consumidor montou uma espécie de cartilha com dicas para evitar dor de cabeça com produtos defeituosos, garantia e a troca da sua mercadoria. 
 
Confira abaixo as orientações do Procon: 
 
Nota fiscal – Exija sempre a nota fiscal, ela é o comprovante da compra realizada e o usufruto dos seus direitos;
Troca de produtos – é importante que o consumidor entenda que a troca é uma liberalidade da loja, ela não é obrigada a trocar um item que não esteja com problemas;
Garantia legal – a garantia é aquela prevista no Código de Defesa do Consumidor e qualquer loja ou fabricante, é obrigado a observá-la;
Prazo da garantia – o código prevê dois prazos para o consumidor fazer a sua reclamação: 1° 30 dias para os produtos não-duráveis (calçados, roupas e brinquedos), 2° 90 dias para os duráveis (eletrodomésticos, veículos, máquinas, equipamentos e construções);
Garantia contratual – se o fornecedor oferecer outra garantia (estendida) saiba que essa é uma garantia contratual, ou seja, é a liberdade do fornecedor oferecer, sendo importante que seja solicitado o Termo de Garantia, onde deve ter suas cláusulas expressas e claras. É necessário que esse termo seja devidamente preenchido, pois assim não haverá problemas no momento de usá-lo;
Compras pela internet – caso opte por compras online, o consumidor terá o direito de se arrepender da compra e pedir o seu cancelamento, assim como a devolução dos valores pagos corrigidos monetariamente. Esse é o chamado direito de arrependimento, que tem de ser exercido no prazo de 7 dias, contados da realização do contrato ou da chegada da mercadoria. Ao receber o produto, o consumidor deverá assinar o documento de recebimento, logo após conferir se está tudo de acordo com o que foi solicitado;
Produto com defeito – a primeira providência a ser tomada é procurar o lojista ou fabricante e informar o ocorrido. A responsabilidade pelo produto apresentar problema de qualidade ou não é de ambos. Os fornecedores têm o prazo de 30 dias para sanar o defeito. Em caso de não ser respeitado esse prazo, o consumidor pode optar pela substituição por outro da mesma espécie, em perfeitas condições de uso, restituição da quantia paga ou o abatimento proporcional do preço;
Compra consciente – o consumidor deverá pesquisar preços, descontos e formas de pagamentos. Além disso, deverá questionar sobre juros e eventuais encargos e não gastar mais do que pode;
Eletrodomésticos/eletrônicos – deve-se sempre pedir para testar o produto no próprio estabelecimento comercial. Desta forma não correrá o risco de comprar com defeito e ter de esperar 30 dias pelo conserto.