Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Procon Anápolis faz pesquisa de preço dos medicamentos: Azitromed e Ivermectina

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

10/07/2020 17h55 - Atualizado em 10/07/2020 17h56

Procon Anápolis faz pesquisa de preço dos medicamentos: Azitromed e Ivermectina

A pesquisa aponta variação de 88% no preço do Azitromed e 59% no caso da Ivermectina

Em busca de orientar consumidores e fornecedores, do ponto de vista das normas de consumo, neste momento de enfrentamento à Covid-19, o Procon Anápolis realizou pesquisa de preço de dois medicamentos — Azitromed (500mg) e Ivermectina (6mg) — em dez estabelecimentos da cidade. Os remédios ganharam notoriedade na internet pela suposta eficácia no tratamento, embora não tenha nenhuma comprovação científica. Acesse a pesquisa!
 
O medicamento Azitromed (500mg) – utilizado no tratamento de infecções respiratórias – é comercializado entre R$ 7,99 a R$ 15,00 – com variação de 88%.  Já o medicamento Ivermectina (6mg) com quatro comprimidos – utilizados também para tratamento de infecções- é vendido entre R$ R$ 24,00 até R$ 38,08 – variação de 59%.  Dos estabelecimentos pesquisados, 50% estão em falta de ambos os medicamentos. 
 
No e-commerce, os preços variam de R$ 9,49 a R$ 20,74 para o Azitromed; e de R$ 3,99 (caixa com dois comprimidos) a R$ 33,75 (caixa com quatro comprimidos) no caso da Ivermectina.  Devido a vasta procura pela medicação, o Procon está oficiando os laboratórios de Anápolis para verificar sobre a produção destes medicamentos como, por exemplo,  prazos de entrega e valores comercializados.
 
O secretário da pasta, Robson Torres, explica que o objetivo da pesquisa é orientar a população quanto ao preço dos medicamentos mais vendidos na atualidade. “Muito embora estejamos receosos quanto ao fato de que a população em geral está fazendo uso destes remédios sem qualquer prescrição médica, do ponto de vista da defesa do consumidor, evitando abusos e aumento de preços injustificados, estamos monitorando todos que estejam comercializando tais medicamentos”, ressalta Torres.