Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Procedimentos ambulatoriais e eletivos são reprogramados

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

19/03/2020 17h19 - Atualizado em 23/03/2020 18h03

Procedimentos ambulatoriais e eletivos são reprogramados

Objetivo das medidas é evitar aglomerações. Serviços de urgência e emergência continuam

Dentre as inúmeras ações adotadas pela Prefeitura de Anápolis, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, foi publicada uma nota técnica no Diário Oficial do Município de 18 de março de 2020, sobre o funcionamento de alguns serviços devido a situação emergencial de prevenção, controle e contenção do coronavírus.

Conforme o documento, serão reprogramados em 50% os atendimentos ambulatoriais, consultas e exames para evitar a aglomeração de pacientes. As agendas estão sendo reprogramadas de modo a espaçar os horários. Também haverá triagem em pacientes que possuem sintomas gripais e aqueles com idade a partir de 60 anos.

A mesma norma fica estabelecida para cirurgias eletivas, aquelas que não são de urgências. Estas também serão terão uma readequação pela metade devido a possível necessidade de leitos extras e a otimização de insumos. Ficam excluídos dessa instrução os procedimentos relacionados à oncologia, cardiologia e neurocirurgia.

Outra medida é a suspensão de alguns serviços que não são de urgência e emergência, como a assistência odontológica na rede privada, critério já adotado pela rede municipal desde quarta-feira, 18. Para atendimento de urgência, estão em funcionamento os plantões odontológicos.

O Centro de Reabilitação e Fisioterapia de Anápolis (Crefa) também terá as atividades suspensas e os servidores - assim como os odontólogos e auxiliares de saúde bucal da área ambulatorial – serão redirecionados para atender outras demandas da saúde conforme o plano emergencial. Também está supenso o Transporte Fora de Domicílio (TFD) para consultas e procedimentos eletivos.

O documento traz ainda queserá mantido o funcionamento do serviço de hemodiálise nas instituições públicas e privadas, reforçando medidas de proteção já publicadas pelos governos federal, estadual e municipal.  

Visitas

A nota técnica também traz a suspensão de visitas aos pacientes internados (diagnosticados ou não com coronavírus) em ambiente hospitalar, bem como a presença de representantes comerciais da indústria farmacêutica às unidades de saúde.

Outra recomendação é a suspensão de visitas a asilos, institutos de longa permanência de idosos, clínicas de reabilitação, presídios e centros de detenção de menores.

Medicamentos

Para evitar que a população fique exposta a ambientes que possam ter algomerações, a Secretaria Municipal de Saúde ainda amplia para seis meses o prazo de aceitação das receitas de medicamentos de uso contínuo nas unidades públicas de saúde, conforme critério clínico.