Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Parei com essa vida Cigana

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

05/08/2019 14h17 - Atualizado em 07/08/2019 09h31

Parei com essa vida Cigana

A pet que conquistou o público e foi uma das queridinhas do ArraiAna 2019

Foto: Santiago Plata - Dircom

Eu caminhava sozinha pelas ruas, observava as estrelas e a lua. Cansada dessa vida solitária de Bruno e Marrone e com cara de cachorro que caiu da mudança foi que percebi uma movimentação estranha no Estádio Jonas Duarte no final do mês de julho de 2018. Entrei sem pretensão alguma e, de lá pra cá, tudo mudou. Minha prole foi adotada por muitos, tenho residência “própria”, ganhei uns bons quilinhos e, mais recentemente, tornei a pop star do maior evento beneficente de Goiás: o ArraiAna. Chega mais, sou a Cigana, a cachorra que ganhou “seguidores”, cliques e muito carinho de funcionários e até de quem foi curtir os artistas no ArraiAna 2019.

Vida de cachorra pode ser osso, viu? Eu que tinha que matar um leão por dia para arrumar comida, não passar frio ou sede e até ter que me safar desses insensíveis que maltratam animais em condição de rua, acabei descolando uma casa gigante e parentes bacanas. Ah, nunca mais quero sair do Jonas Duarte. O pessoal de lá me trata bem e, em dia de jogo, fico muito animada com os aperitivos.  Aliás, estou ficando com fama de gulosa.

Não sou boa em matemática, mas sei que tive muitos filhotinhos. Tive bônus até nisso. Agora todo mundo quer adotar meus descendentes. Acho que vou ter que começar a fazer terapia, estou ficando esnobe com tanta mudança radical, ainda mais agora que tirei dezenas de fotos, ganhei carinho, dei lambidas e meu nome está até num famoso portal da cidade. Foram cinco dias incríveis, sabe? Tinha até um negócio chamado backdrop para eu fazer pose. Pessoal cuidadoso esse, havia também um sofá para eu mostrar toda a minha performance de dog model.

Que pulseirinha, que nada? Como eu cedi minha casa para esse evento fantástico, tinha acesso a todos os lugares. Espaço de autoridades, campo, palco e arquibancada de cadeiras, que era onde eu adorava tirar um cochilo. De quebra, ganhei segurança privada. Vem se meter a besta comigo para ver se a Polícia Militar não me protege? Ahhhh, será um tempo de saudades. Que venha o ArraiAna 2020.