Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Orquestra Filarmônica de Goiás se apresenta em Anápolis nesta sexta-feira, 4

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

04/08/2017 14h35 - Atualizado em 04/08/2017 14h38

Orquestra Filarmônica de Goiás se apresenta em Anápolis nesta sexta-feira, 4

O espetáculo começa às 20h30 e o ingresso é um quilo de alimento não perecível

A Orquestra Filarmônica de Goiás se apresentou em Anápolis na sexta-feira, 4, às 20h30, com repertório inédito. O espetáculo aconteceu no Teatro São Francisco e o ingresso foi um quilo de alimento não perecível (exceto sal, farinha e fubá). Com regência e solo de Alessandro Borgomanero, a Filarmônica executou as obras “Concerto para Violino”, de Mendelssohn, e a Sinfonia nº5, de Schubert. O evento contou com o apoio da Prefeitura de Anápolis.

O concerto faz parte da quinta Turnê Estadual da Filarmônica. Depois de Anápolis, a Orquestra seguiu para a Cidade de Goiás. O objetivo da iniciativa é fazer com que os moradores de diversas cidades goianas tenham acesso às emoções proporcionadas pela música de concerto. Atualmente, a Orquestra Filarmônica de Goiás é um programa do Governo do Estado, vinculado à Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte e ao Centro Cultural Oscar Niemeyer.

 A temporada anual de concertos inclui apresentações nos tradicionais teatros de Goiânia e do interior do Estado, bem como espaços alternativos como parques, escolas e universidades. Também são desenvolvidas diversas iniciativas educacionais que visam apresentar a Música de Concerto à estudantes da rede pública e privada de educação.Com essas ações, a Orquestra busca alcançar o seu objetivo primordial, que é a democratização do acesso aos bens culturais. 

Sobre a Filarmônica

Desde sua fundação em 1980 pelo maestro Braz de Pina Filho, a Orquestra Filarmônica de Goiás passou por diversas modificações, buscando sempre se adaptar às particularidades de cada tempo. Na sua última e mais importante reestruturação, ocorrida em 2012, a Filarmônica deixou de ser um conjunto de atuação eminentemente local, para se tornar um dos mais interessantes e celebrados projetos de música sinfônica do país.

Como parte fundamental dessa reestruturação, a direção artística da orquestra passa, a partir de 2014, ao maestro britânico Neil Thomson, que desde então, desenvolve trabalho que conferiu à Filarmônica um padrão internacional de excelência artística.