Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Massagem indiana ajuda no aleitamento materno

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

05/08/2019 16h39 - Atualizado em 05/08/2019 16h51

Massagem indiana ajuda no aleitamento materno

Banco de Leite ainda promove nos dias 12 e 13 o 1º Simpósio de Aleitamento Materno de Anápolis

Fotos: Bruno Velasco - Dircom

Interagir com o bebê e proporcionar a ele momentos de bem-estar são os principais objetivos da shantala. A massagem, de origem indiana, é aplicada pelas próprias mães e pais em crianças com mais de um mês de idade. E foi com uma oficina sobre esta técnica que a Prefeitura de Anápolis iniciou nesta segunda-feira, 5, o Agosto Dourado, campanha de incentivo ao aleitamento materno.

A oficina foi realizada para mães e pais no Banco de Leite Humano Elaine Miriam de Oliveira. A massagem é baseada em repetições de movimentos e alongamentos que trabalham a musculatura do bebê e as articulações. A técnica os deixa mais tranquilos, faz com que respirem melhor e ganhem maior consciência corporal, alem de intensificar o contato físico. Com isso, a amamentação se torna ainda mais prazerosa para a mãe e a criança.

A campanha “Agosto Dourado. Empoderar mães e pais, favorecer a amamentação” tem continuidade no sábado, 10, com o ‘Mamaço’, às 15h, no Parque Ipiranga. No dia 12, acontece o 1º Simpósio de Aleitamento Materno de Anápolis. As inscrições estão abertas, são gratuitas e podem ser feitas no link https://bit.ly/31jqws6. Todas as ações visam, principalmente, conscientizar população e profissionais de saúde sobre a importância do ato para a saúde da mãe e do bebê.

Raquel de Castro Rodrigues, coordenadora do Banco de Leite Humano de Anápolis, lembra que o principal benefício é mesmo a redução da mortalidade infantil, mas pontua outros. "A criança adquire imunidade e tem ganhos no desenvolvimento cognitivo, por exemplo. Já a mãe é beneficiada com a redução da hemorragia uterina e com a volta mais rápida ao peso, entre outras situações", explica.  

O aleitamento materno é a melhor fonte de nutrição infantil, sendo capaz de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos. Protege a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. Além disso, reduz o risco de a criança desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes, sobrepeso e obesidade na vida adulta.

O Ministério da Saúde recomenda que as crianças sejam amamentadas até os dois anos ou mais e de forma exclusiva até o 6º mês de vida.  Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Unicef, cerca de seis milhões de crianças são salvas a cada ano com o aumento das taxas de amamentação exclusiva até o 6º mês de vida.

A campanha “Agosto Dourado. Empoderar mães e pais, favorecer a amamentação” conta com a parceria da Rede Global de Bancos de Leite Humano, Mame Care, Colégio Nexus, Papelaria Alternativa, Senac e do Comitê Estadual de Incentivo ao Aleitamento Materno.

Acompanhamento
Desde dezembro do ano passado, o Banco de Leite Elaine Miriam de Oliveira possui sede própria no Bairro São Joaquim e teve a assistência ampliada às gestantes, mulheres pós-parto e em fase de amamentação, e também aos pequeninos. De 20 atendimentos mensais contabilizados quando funcionava em apenas duas salas no antigo Cais Mulher, passou para cerca de 80 na nova sede.

Para isso, conta com uma equipe multidisciplinar composta por especialistas em psicologia, odontologia, nutrição e fonoaudiologia. Também foi inaugurado um posto de coleta do Banco de Leite na Maternidade Dr. Adalberto Pereira da Silva para ampliar o atendimento às mamães e seus bebês.

Atendimento
Para escolher as doadoras, é feita uma triagem. Primeiro o Banco de Leite vai até os hospitais para divulgar o serviço. Em seguida é feito o cadastro de todas as mães que desejam doar. Estas ainda recebem atendimento domiciliar para saber sobre rotina, histórico de saúde, entre outras condições.

Após a triagem e a adoção, o leite passa por um processo de pasteurização e análise de qualidade. Todo um cuidado é tomado para que os bebês recebam um produto bom e nutritivo. Algumas mães possuem problemas familiares e psicológicos que podem atrapalhar no resultado do leite produzido. Com o atendimento em psicologia, implantado pela atual gestão, as doadoras podem contar com um apoio que fará toda diferença em sua vida.

Cada dia da semana é feito um atendimento domiciliar às doadoras ativas. Os profissionais responsáveis realizam um rodízio nos bairros e passam nas casas recolhendo o leite. Um acompanhamento nutricional também é feito para equilibrar a alimentação das doadoras e assim melhorar as propriedades do produto. Com esses atendimentos complementares, o banco de leite de Anápolis pretende aumentar o estoque tanto na qualidade, quanto na quantidade do leite.

 

Programação:
“Agosto Dourado. Empoderar mães e pais, favorecer a amamentação”.

10 de agosto
‘Mamaço’
Horário: 15h
Local: Parque Ipiranga

12 e 13 de agosto
1º Simpósio de Aleitamento Materno de Anápolis
Horário: 19h
Local: Auditório do Senac

Serviço
Banco de Leite Humano Elaine Miriam de Oliveira
Endereço: Avenida Cachoeira Dourada, Praça Martins – Bairro São Joaquim
Telefones: 0800 646 3223 e 3902-1722

Massagem indiana ajuda no aleitamento materno