Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Lamparina de Diógenes vai passar por 51 escolas e CMEI's de Anápolis

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

09/08/2017 10h37

Lamparina de Diógenes vai passar por 51 escolas e CMEI's de Anápolis

O projeto tem como objetivo incentivar a prática de boas ações na sociedade

Na última terça-feira, 8, a Secretaria Municipal de Educação organizou um evento simbólico para a entrega das lamparinas de Diógenes ao CMEI Anita Malfatti, no Adriana Parque, e às escolas municipais Afonsina Mendes do Carmo, no Bairro São João, e Antônio Constante, no Bairro Jundiaí. As lamparinas percorrerão 51 escolas e CMEI’s da cidade, provocando iniciativas de boas ações em toda a comunidade escolar. A ação faz parte da campanha “Eu sou do bem, eu sou de Deus”, de iniciativa do juiz da Vara da Infância e Juventude em Anápolis, Carlos Limongi.
 
O secretário municipal de Educação, Alex Martins, ressaltou que a ideia da lamparina é promover boas ações todos os dias. Disse também, que a luz dela é simbólica, mas seu significado é profundo e tem o objetivo de acender a luz que cada um tem dentro de si, irradiando amor e respeito ao próximo. 
 
Antes de ser entregue às unidades de ensino, as lamparinas estavam com a Secretaria Municipal de Educação e como resultado da provocação de boas ações, os servidores realizaram uma campanha de arrecadação de leite integral para o Lar e Abrigo Mater Salvatoris, instituição da cidade que cuida de crianças em vulnerabilidade social. 
 
A representante do Lar e Abrigo Mater Salvatoris, Ester Ingrid, agradeceu a iniciativa e ressaltou que a diferença para um mundo melhor começa em cada um de nós quando amamos o nosso próximo. 
 
Simbologia 
A Lamparina de Diógenes é originária da Grécia antiga e tem sua simbologia moral aplicável nos dias de hoje. Segundo a história, Diógenes foi exilado de sua cidade natal e se mudou para Atenas, onde teria se tornado um discípulo de Antístenes, antigo pupilo de Sócrates. Perambulava pelas ruas carregando uma lamparina durante o dia, alegando estar procurando por um homem honesto. Por acreditar que a virtude era melhor revelada na ação e não na teoria, sua vida consistiu numa campanha incansável para desbancar as instituições e valores sociais do que ele via como uma sociedade corrupta.