Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Avenida Brasil Sul sofrerá interdição parcial

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

08/05/2019 11h17 - Atualizado em 08/05/2019 11h32

Avenida Brasil Sul sofrerá interdição parcial

Impacto inicial no trânsito será moderado. Obra deveria ter sido feita em 2015, segundo Saneago

Neste sábado, dia 11, a Prefeitura de Anápolis dará início à última obra do plano de mobilidade urbana - o desvio da rede de esgoto que passa pelo Viaduto Deocleciano Moreira Alves, na região central da cidade. Para isso, será interditado, a partir das 14 horas, o trecho da Avenida Brasil Sul - referente ao quarteirão entre a Rua Barão do Rio Branco e a Avenida Goiás, que continuam normalmente transitáveis.
 
A previsão é de 60 dias de trabalho, dividido em duas etapas. Na primeira, o desvio no trânsito, cujo prazo é de 20 dias de execução, será apenas do trecho citado. Já na segunda etapa, a interrupção do tráfego se estende até a sede administrativa do município, ao longo de 110 metros, impedindo o acesso à Avenida Brasil Sul pela Avenida Goiás, por 40 dias. 
 
A obra, que estava prevista desde o início da construção do viaduto, em 2015, não foi realizada pela gestão anterior, contrariando as recomendações da Saneago, que inclusive notificou oficialmente a Prefeitura e a empresa, diversas vezes, à época, sobre a necessidade de intervenção. “Uma parte da estrutura de sustentação do viaduto foi construída em cima de um interceptor de esgoto, quando na verdade deveria ter sido feito o desvio do encanamento. Atualmente, se a Saneago precisar fazer manutenção no local, por exemplo, não é possível”, explica o secretário municipal interino de Obras e Serviços Urbanos, Igo dos Santos Nascimento. 
 
A gerente da Saneago em Anápolis, Tânia Valeriano, afirma que remanejar redes de esgoto é comum, principalmente, no caso da construção de viadutos, mas o ideal é que seja feito antes do início das obras estruturais. “Em 2015, após o anúncio da construção deste viaduto, a Saneago solicitou o projeto de remanejamento das redes à Prefeitura e alertou para que as obras não fossem iniciadas sem este planejamento”, conta Tânia. Mesmo assim, ela diz, a construção começou. 
 
“Quando constatamos que a obra estava em fase final, mas a adequação não tinha sido feita, chegamos a procurar o Ministério Público, mas a empresa se posicionou novamente dizendo que estava previsto no cronograma e que seria realizada”, continua. Ela ressalta que partiu do prefeito Roberto Naves a determinação de, finalmente, realizar a intervenção por completo, pois a empresa vinha sinalizando que seria feito apenas um paliativo, contrariando todas os orientações da Saneago.
 
O prefeito Roberto Naves, em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira, 8, na sede administrativa, destacou que o trabalho da gestão atual é orientado pela responsabilidade, tanto em relação aos cidadãos quanto ao dinheiro público. “Nosso objetivo é entregar obras com qualidade para a população, duráveis e que impactem positivamente a cidade”, afirma.
 
O modelo de licitação utilizado para esta obra foi o Regime de Contratação Diferenciado (RDC Integrado), ou seja, não existia projeto para iniciar os trabalhos, explica o prefeito. “Neste modelo, você vai aprovando partes do projeto e executando ao mesmo tempo. Então, esta obra de desvio da rede de esgoto estava prevista não porque havia um projeto, mas porque a Saneago notificou a gestão de 2015”, pontuou. 
 
Na licitação pelo modelo tradicional, que é o utilizado pela Prefeitura atualmente, é necessária a aprovação do projeto completo antes de tudo, inclusive prevendo custos detalhadamente, a emissão de alvará de construção, de licença ambiental, entre outros trâmites que garantem a plena execução das obras.
 
A intervenção faz parte do conjunto de obras que compõe um projeto macro de mobilidade urbana em Anápolis, financiado pela Caixa Econômica Federal no valor de R$ 74 milhões, ainda em 2015. 
 
Trânsito no viaduto continuará liberado
Dividida em duas etapas, a intervenção não impacta o trânsito no viaduto Deocleciano Moreira, que permanece livre durante todo o período de obras. Na primeira etapa, será interrompida apenas a quadra da Avenida Brasil Sul entre a Rua Barão do Rio Branco e a Avenida Goiás. Ou seja, só estará interrompido o tráfego para quem quiser passar pela lateral do viaduto sentido norte-sul.
 
Na segunda etapa, será fechada a Avenida Brasil Sul desde o cruzamento da Avenida Goiás, até a frente da sede da Prefeitura. A Avenida Goiás será interrompida nos sentidos centro-bairro e bairro-centro. Quem tiver o costume de acessar o centro da cidade pelas vias interditadas, pode desviar para rotas alternativas pela avenida Fayad Hanna e rua Amazílio Lino Souza, além da rua Aluísio Crispim - paralela à rua Barão do Rio Branco, que também dá acesso à Avenida Senador José Lourenço dias, a Contorno. Quem está vindo no sentido oposto, sentido centro-bairro, pode trafegar tanto pela Rua Barão do Rio Branco, quanto pela Amazílio Lino e Fayad Hannah. 
 
Veja no mapa abaixo ou clique aqui.
 

Avenida Brasil Sul sofrerá interdição parcial