Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Avança o projeto do novo polo industrial em Anápolis

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

13/02/2020 17h28 - Atualizado em 13/02/2020 17h31

Avança o projeto do novo polo industrial em Anápolis

Audiência pública discute regularização da área para instalação do empreendimento, que será de base tecnológica, sem geração de resíduos

A implantação do polo industrial municipal de Anápolis avançou mais uma etapa. É que foi realizada nesta quinta-feira, 13, no Parque Ipiranga, audiência pública para alterar a Lei Municipal nº 348/2016, incluindo no perímetro urbano a área para instalação do empreendimento. A localização é na região norte da cidade, entre o Parque de Exposições Agropecuárias e a Ala 2 (antiga Base Aérea), próximo ao Ribeirão Piancó. 
 
De base tecnológica, o novo distrito industrial abrigará empresas que não geram resíduos ou qualquer tipo de efluente. “Isto também significa que a mão de obra demandada pelas empresas será altamente qualificada. Por isso, já estamos desenhando, junto com a política municipal de incentivos para as empresas, ações de capacitação avançada para os anapolinos”, confirmou Sóstenes Arruda, assessor especial da Prefeitura de Anápolis. 
 
O evento reuniu poder público, sociedade civil e agricultores da região. O presidente em exercício da Associação dos Produtores do Piancó, Luciano Andrade, manifestou seu apoio ao projeto. “Estamos satisfeitos com a iniciativa, pois vai trazer mais desenvolvimento e preservação para a região”, pontuou. A área destinada ao novo distrito já está antropizada, ou seja, não será necessária nenhuma intervenção, como desmatamentos. “Realizaremos a reabilitação ambiental no local: reflorestamento com espécies nativas do Cerrado, árvores frutíferas para favorecer a fauna local”, explica o assessor especial da Prefeitura. 
 
Uma série de exigências está sendo definida para a instalação das empresas. A previsão é que o distrito gere sua própria energia, fazendo uso de placas solares, por exemplo, e as empresas serão obrigadas a fazer reuso de água, além de aproveitamento das chuvas. A expectativa é que sejam geradas até 10 mil novas vagas diretas de emprego.
 
Saiba mais
A escolha do local do novo distrito teve como fator principal a localização, na região norte, de acordo com o prefeito Roberto Naves. Ele explica que esta é uma das áreas mais populosas do município, chamada de grande Recanto do Sol, com mais de 50 mil moradores, que, em sua maioria, atravessam a cidade diariamente para trabalhar ou buscar oportunidades de emprego na porção sul, onde está o Daia.  
 
Além do desenvolvimento socioeconômico para esta parte da cidade, que foi negligenciada por sucessivas gestões anteriores, a iniciativa promete transformar o trânsito na cidade. Segundo Roberto Naves, Anápolis está desbalanceada, muitas pessoas morando na parte norte e trabalhando na região sul. “Então, este distrito industrial vai gerar empregos para toda a cidade sim, mas principalmente para quem mora na grande Recanto do Sol e na Jaiara”, pontuou.