Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Anápolis é escolhida para integrar rede de cidades inteligentes do mundo em lista divulgada na CeBIT 2015

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

17/03/2015 16h33 - Atualizado em 17/03/2015 16h35

Anápolis é escolhida para integrar rede de cidades inteligentes do mundo em lista divulgada na CeBIT 2015

Trabalhos de inclusão digital desenvolvidos pela atual administração fazem com que a cidade ganhe mais destaque neste setor

Texto: Luana Cavalcante
Arte: Publicidade/Secom

Anápolis foi escolhida para integrar a rede de cidades inteligentes. O anúncio foi feito durante a CeBIT 2015 – a maior feira mundial de Tecnologia da Informação e Comunicação - que acontece em Hannover, na Alemanha. Na lista estão 31 cidades de todo o mundo. Do Brasil, além de Anápolis, figuram no ranking Olinda, Porto Alegre, Vitória, Colinas de Tocantins e Taguatinga.

A iniciativa é da Open & Agile Smart Cities que tem o objetivo de acelerar a adaptação de normas, com base em tecnologia Fiware no desenvolvimento de aplicações e soluções para smart cities e quer transformar as cidades em motores de crescimento e inovação. Anápolis foi considerado o sexto município do País no ranking de cidades digitais.

Os trabalhos de inclusão digital desenvolvidos pela atual administração fazem com que Anápolis ganhe cada vez mais destaque neste setor. No município foram implantados em vários setores da cidade telecentros que oferecem à população cursos de capacitação que contribuem para sua formação educacional e profissional.

Outras ações que contribuem para que Anápolis ganhe destaque foram a implantação da modernização do sistema da administração municipal, do portal da transparência, instalação do videomonitoramento, investimento no Planetário Digital, entre outros.

O secretário municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, Fabrízio Ribeiro, explica que o objetivo é a criação de uma rede de municípios que estabelecem diretrizes para desenvolver seus projetos sustentáveis, com tecnologias que ajudem a melhorar o bem-estar das cidades. “O projeto é uma iniciativa do Fórum Nacional de Ciência e Tecnologia da Frente Nacional dos Prefeitos e da União Europeia, com o apoio do Banco Mundial e tem como proposta estimular a troca de experiências entre as cidades que estabeleçam diretrizes para melhorar os serviços que oferecem”, comentou.