Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Anápolis aumenta capacidade de testagem

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

26/06/2020 15h58 - Atualizado em 26/06/2020 16h25

Anápolis aumenta capacidade de testagem

Frentes envolvem testes comprados pelo município ou adquiridos por termos de adesãos com governos estadual e federal, além de doação

Foto: Bruno Velasco - Dircom
Não é só na estrutura hospitalar e no atendimento que Anápolis investe no controle e combate à pandemia da Covid-19. A testagem da população e de profissionais que estão na linha de frente é uma preocupação constante e, por isso, testes são adquiridos, adesões são feitas e parcerias são estabelecidas para que a análise do panorama do coronavírus na cidade seja cada vez mais precisa.
 
O município adquiriu cinco mil testes pelo método Swab (PCR) que estão sendo realizados, juntamente com os disponibilizados pelo Lacen (GO) em pacientes sintomáticos e internados, aumentando a capacidade de testagem de uma média de 20 para cerca de 40 por dia. 
 
Esse método de testagem ainda será reforçado devido à doação da empresa Brainfarma de mil kits que serão utilizados em casos suspeitos e sintomáticos. “Isso vai aumentar a nossa capacidade de testagem e, consequentemente, haverá um aumento na confirmação de casos, mas em contrapartida teremos um cenário mais nítido”, revela a gerente da Vigilância Epidemiológica, Mirlene Garcia. 
 
Paralelo a isso, o município ainda aderiu a um inquérito aberto pelo Estado de Goiás para a testagem rápida de profissionais de saúde que estão no atendimento à população. “Após a conclusão desse inquérito, teremos 100% dos profissionais de saúde da linha de frente testados”, ressalta.
 
Mirlene Garcia explica que esse inquérito vai ampliar a assistência aos servidores municipais da saúde que já vem sendo testados em casos sintomáticos juntamente com profissionais da área de segurança. 
 
Testagem aleatória
O município de Anápolis também fará na próxima semana a segunda onda de testagem aleatória entre moradores da cidade, que serão visitados por profissionais da Secretaria Municipal de Saúde, repetindo o inquérito proposto pelo Ministério da Saúde, cuja primeira onda aconteceu na cidade entre 27 de maio e 6 de junho. 
 
A metodologia consiste em sortear endereços de moradores, aleatoriamente, para que se consiga estimar o percentual da população que teve contato com o vírus sem manifestar sintoma da doença (assintomáticos). Novamente, cerca de 900 pessoas serão visitadas em seus domicílios por equipes da Secretaria treinadas para a abordagem. Mediante consentimento, é coletada a amostra de sangue do morador para o teste sorológico capaz de detectar anticorpos contra o SARS-CoV-2.